Hospital do Araguaia entrega novo espaço para acolhimento de gestantes e crianças

up_ag_33862_8c0fd429-2fe6-7889-2169-9e1943ce23d7 (2)

Visando a melhorar a qualidade e bem-estar das futuras mamães e das crianças, o Hospital Regional Público do Araguaia (HRPA) entregou um novo espaço de acolhimento. A construção dessa área visa a reforçar a política de humanização e oferecer um ambiente mais confortável, acolhedor e privado para os pacientes, separado do atendimento das urgência e emergência.

A diretora do hospital, Dagmar Dutra, ressalta que o novo espaço respeita a individualidade de cada paciente. “Esta reforma cumpre com os dispositivos da política de inclusão e diversidade, respeitando as pessoas de acordo com a cultura delas. Temos diferenças entre um atendimento de criança, de uma gestante ou de um paciente politraumatizado. Quando separamos estes ambientes, possibilitamos um atendimento mais centralizado evitando que os usuários enfrentem situações mais dolorosas do que o fato que as trouxeram aqui”, disse.

O novo espaço, além disso, cumpre com as medidas estabelecidas pelas organizações de Saúde e pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). “Um hospital humanizado possibilita não apenas um melhor acolhimento de seus usuários, mas também uma recuperação mais rápida e eficaz. Esta ação reforça a nossa política de humanização e de inclusão tendo o cuidado centrado no paciente”, comenta a diretora.

O secretário adjunto de Políticas de Saúde, Sipriano Ferraz, elogiou a iniciativa do HRPA. “Além de descentralizar cada vez mais os serviços de média e alta complexidade no estado, é importante que esses serviços primem pela qualidade e humanização no atendimento dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS)”, comentou.

O HRPA é referência no atendimento de gestantes de alto risco referenciadas pelos municípios, dispondo de UTIs neonatal e pediátrica, além de UTIs adulto. O Hospital é administrado pela Associação de Saúde, Esporte, Lazer e Cultura- ASELC e mantido pelo Governo do Estado do Pará, por meio da Secretaria de Saúde Pública (Sespa).

Texto de Débora Barbosa (HRPA)