Hospital Regional Público do Araguaia (HRPA) inaugura um novo e inédito procedimento de hemodiálise na região

WhatsApp Image 2022-06-10 at 10.09.43

O Hospital Regional Público do Araguaia (HRPA), em Redenção, no Sul do Pará, já dispõe de novo aparelho de hemodiálise, que possibilita atendimento contínuo a pacientes da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) Adulto. A hemodiálise contínua beneficia os pacientes em estado grave, que precisam de cuidados intensivos. A tecnologia é inédita na região, e transforma o HRPA em pioneiro no tratamento nefrológico e um dos hospitais com maior investimento no atendimento a pacientes renais críticos.

Uma das diferenças do equipamento de diálise normal para o tratamento contínuo é que o novo aparelho possibilita fazer a filtração do sangue e a eliminação do excesso de líquidos (inchaço) de forma bem lenta, mas ininterrupta. Uma sessão de diálise que pode durar de 3 a 8 horas, agora pode ser feita de 3 a 8 dias, sem sobrecarregar o corpo e permitindo que o tratamento siga de forma mais delicada e estável, possibilitando aos pacientes com falência de múltiplos órgãos suportar o tratamento e responder clinicamente às terapias na UTI.

“Infelizmente, pacientes tão graves assim não conseguiriam se submeter aos métodos habituais de diálise, e teriam mínimas chances de sobreviver a essa fase tão difícil. Agora, eles possuem mais uma oportunidade de enfrentar esse desafio em suas vidas. A hemodiálise contínua é um recurso a mais que o HRPA passa a oferecer a seus pacientes críticos, e eleva o nível de complexidade de nossas UTIs e do próprio hospital”, explicou o médico nefrologista Giordano Floripe Ginani.

Agora, o Pará possui na região Sul a terapia mais avançada para oferecer à população um tratamento nefrológico de alta tecnologia e humanizado. O Hospital Regional Público do Araguaia ainda é referência em cardiologia, cirurgia traumatológica, hepatologia (doenças do fígado) e neurocirurgia.

Humanizar o tratamento – Para o secretário de Estado de Saúde Pública, Rômulo Rodovalho, além de tratar a doença renal crônica, o importante dessa tecnologia é que vai tornar o procedimento mais humanizado aos pacientes mais graves. “Reduzir os efeitos colaterais e incômodos de um procedimento médico também é uma forma de humanizar o tratamento de pacientes renais crônicos”, afirmou titular da Sespa.

O Hospital Regional Público do Araguaia integra a rede de unidades de saúde do Governo do Pará, sendo administrado pela Associação de Saúde, Esporte, Lazer e Cultura (Aselc), por meio de contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

Texto: Débora Barbosa – Ascom/HRPA